MURICI dá e UNIÃO não dá!!!!!!!

Antes de tudo vamos nos atualizarmos sobre os repasses de recursos realizados a Murici e União dos Palmares, do Governo Federal. Fazendo uma breve comparação no geral. Não estão inclusos nesta comparação os recursos próprios oriundos dos impostos como IPTU, ISS, feiras dentre outros.

Em 2007:

Murici - FPM - R$ 6.858.279,33
TOTAL DE REPASSES DO GOV. FEDERAL
R$ 21.465.863,97


União dos Palmares - FPM - R$ 11.113.512,59
TOTAL DE REPASSES DO GOV. FEDERAL
R$ 38.123.337,56



Em 2008 (até setembro)

Murici - FPM - R$ 6.569.470,29

TOTAL DE REPASSES DO GOV. FEDERAL
R$ 16.534.750,10

União dos Palmares - FPM - R$ 10.323.453,07
TOTAL DE REPASSES DO GOV. FEDERAL
R$ 32.164.347,83


Murici uma cidade aproximadamente 25.964 mil habitantes (censo 2007) e União dos Palmares com mais de 60.619 mil (censo 2007).
Qual a razão existente então, daqueles políticos de lá de Murici, dar transporte de graça aos munícipes, para estudar em Maceió e União não?

O que acontece então por aqui?

É lógico, que “não sabemos” o porquê de não se investir na própria população, por estas bandas chamadas de “Terra da Liberdade”, cuja frase de alarde, é utilizada para discursos insanos e sem conteúdo. Se não bastassem, para muitos que trabalham e pagam sua faculdade, não acho justo pagar o transporte também, muito menos, quem não tem condições de pagar a faculdade que, recorrendo a Universidade pública ou ao Prouni, tem a triste rotina de pagar uma passagem de R$ 16,00 por semana, que para alguns é barata, mas para muitos é um martírio. Quanto tempo não se investirá nesta população, o terreno para a Uneal e tantas outras oportunidades já sabidas. O retorno para União dos Palmares ou qualquer outra cidade que investe em educação é inevitável. Quero educação, quero transporte e acima de tudo RESPEITO!!!!!!!


1 comentários:

LIBERTAS disse...

Acho que já ficou mais do que claro porque que as coisas não andam em União. Porque na hora de reclamar, todo mundo reclama, mas na hora de agir... Não tinha nem metade dos estudantes que andam nos ônibus naquela assembléia, nem um terço. É isso que desestrutura. Não dá vontade de lutar e defender uma coisa para que aqueles que se omitem recebam o resultado do nosso trabalho. Sinto nojo em saber que, em União, mesmo de onde se poderia esperar pensamentos novos e um sentimento de luta, os estudantes, só se recebe "créu". Se Zumbi nascesse hoje, não encontraria quem lhe desse a mão, para fundar algo tão ousado e libertário quanto foi o quilombo, em União.