A paz para o povo de Anapú



Companheiros(as) de caminhada:


Uma dia o poeta escreveu: "Faz escuro mais eu canto porque o amanhã vai chegar"... no momento faz escuro, só não sei quando podemos cantar. Pois a dois dias segui de perto o julgamento dos assassinos da Irmã Doroty. Não tirei o pé do tribunal de justiça estes dias, mais agora regresso à casa, com uma profunda tristeza. O Júri concedeu liberdade ao autor intelectual do crime (o Bide) latifundiário, criminoso e tirano. O "pobre', o miserável do vaqueiro-pistoleiro( q não se deve ter pena) resolveu assumir toda culpa, o idiota foi assim condenado a 28 anos de prisão. Ai nos perguntamos até quando nós agüentaremos tanta violência e tirania?

Estivemos acampados em frente ao tribunal de justiça: trabalhadores, trabalhadoras, religiosos e religiosas, cristãos anglicanos e metodistas, clamando por justiça e sonhado com paz no campo. A paz para o povo de Anapú, a solidariedade a congregação das irmãs de Notre Dame, Justiça a Irmã Doroty, que muito fez para o povo empobrecido do oeste e sul do Pará... Foram momentos bonitos de compromisso e companheirismo, mais a sentença foi cruel; venceu o inimigo, o tirano com sua bota assassina está livre para esmagar os fracos e indefesos e continuar com seus parceiros a destruir nossa Amazônia. Diante deste fato me pergunto: Se este caso que teve tanta repercussão nacional e internacional, o autor intelectual foi solto, então agora fica mais fácil continuar matando trabalhadores. E como vai ser a vida do povo pobre de Anapú? Do povo de Ir. Doroty?

Partilho com vocês o meu ato de repúdio a esta atitude da justiça brasileira. Espero que amanhã possamos cantar, na esperança de que "haveremos de ver qualquer dia chegando a vitória e o povo nas ruas fazendo a história."

Um abraço.
Pe. Ednaldo, OMI

1 comentários:

Marcio ferreira disse...

O companheiro Ednaldo esteve anos atrás nas frentes de batalha, na Catequese, Pjmp e em outras tantas jornadas aqui em União dos Palmares.Me enviou este texto e fiz questão de postá-lo. Obrigado Companheiro e continue em Manaus a luta por Justiça, evangelizando com ardor missionário e nos enviando mensagens de testemunho das batalhas da vida.