EU PODERIA NÃO DIZER ESTAS PALAVRAS...

José Minervino Neto*

minervino84@hotmail.com

Branquinha, 19/06/2008

Eu sou aluno da Universidade Estadual de Alagoas. Eu poderia não dizer estas palavras. Afinal, as opções são muitas e só podemos escolher algumas. Há momentos em que nem alternativas temos. E por quê? Nossas vidas são curtas demais ou apressadas demais? Parece que as duas coisas. Mesmo assim, consegui ser aluno da Uneal em União dos Palmares, onde tenho aprendido muito no convívio com as pessoas desta instituição. Entretanto, isto não aconteceria se inexistisse a Uneal na “Terra da Liberdade”.

As circunstâncias são determinantes à vida de qualquer pessoa, ninguém obtém ou alcança algo do acaso, até as coincidências são circunstanciais.

A Uneal é a instituição maior do ensino superior na Zona da Mata Alagoana. Desde os tempos de Fundação (Funesa) vem transformando, aos poucos e silenciosamente, a mentalidade de pessoas que passaram, passam e passarão por esta academia. A Uneal permite que as camadas populares tenham acesso pleno ao ensino superior público, sobretudo por se instalar no interior do estado, historicamente segregado dos grandes centros urbanos. Aqui, o filho do pobre pode sonhar mais ambiciosamente.

Contudo, desejam ceifar os sonhos desses meninos e meninas, dessas mulheres e homens que hoje fazem a Uneal. Querem nos impedir de mudar nosso contexto social, reduzindo ao mínimo nossas alternativas de vida ou anulando-as. “Eles” sabem mais do que nós da relevância e do papel transformador de uma instituição de ensino superior.

O Campus V possui dois cursos regulares, Letras e Geografia, e mais três cursos de caráter especial, sendo quatro turmas de Pedagogia, uma de Matemática e uma de Ciências Biológicas no Programa Especial para Graduação de Professores (PGP), contém ainda um curso de especialização na área das Letras. É pouco. Poderá ser menos que isso num futuro próximo. “Eles” não são tolos... Manter e ampliar o que temos dependerá da nossa posição diante, vejam só, desta circunstância. Se nos acomodarmos regressaremos gradativamente do patamar de universidade ao de fundação, e daí a menos, menos... Se nos mobilizarmos e lutarmos eu não sei o que acontecerá depois. É claro, há objetivos almejados, porém não podemos afirmar sobre o desconhecido. Em todo caso, o combate é preferível a passividade.

Nossa luta já começou: fomos à Câmara Municipal de União dos Palmares várias vezes, ouvimos e nos fizemos ouvir pelo prefeito atual, fechamos a rodovia, nos juntamos com outros companheiros de Uneal em Maceió em manifestação à frente da sede do governo do estado, estivemos na Assembléia Legislativa, fizemos greve. Pouco, foi feito muito pouco. Muito professores, cientes de sua dignidade, foram embora da Uneal; decerto, outros intentam o mesmo, pois não há condições de trabalho satisfatórias, dentre outras coisas, como pessoal de apoio, concurso para contratação de professores efetivos etc. E sabemos o porquê e quem são os causadores disto: “Eles”?, sim, e nós também. “Nós” acadêmicos, “Nós” povo da Zona da Mata, “Nós” alagoanos, “Nós” herdeiros do legado de Zumbi. “Nós” mesmos.

Eu sou aluno da Universidade Estadual de Alagoas. Eu poderia não dizer estas palavras. Afinal, eu já sou graduado (é, gente, estou na minha segunda graduação!). Mas, porque sou cidadão alagoano, porque sou eu mesmo, me sinto e luto (como posso) pela Uneal. Não quero ter remorsos futuramente.

______________________

* Graduado em História pela Ufal e acadêmico de Letras na Uneal, no Campus V de União dos Palmares.

5 comentários:

Marcio disse...

Este desgoverno de Alagoas, não tem preocupação com a educação. Em União o único Deputado que poderia agir em prol da Uneal, é envolvido em um escandalo de desvi de mais 280 milhões. Este que poderia ajudar a resolver os Problemas, não só do Campus União, mas de toda a Uneal. Este é o ano do povo desta terra dá a resposta necessária.

Dallas Diego disse...

Tbm sou aluno da UFAL, pretendo prestar vestibular para letras Ingles, nao por questao de seguir a carreira lecionando a lingua, mas por questao de aprendizado da mesma.
Uniao precisa de mais investimento nessa area, ou vamos perder td para MURICI.

VERGONHA TOTAL.

Jeferson disse...

apoio a luta dos estudantes da uneal, porque tenho a certeza que vale a pena. também acho que união não deve concentrar os meios educacionais da região, como defende o companheiro dallas diego, penso que todas as outras cidades também tem tanto direito quanto união de ter instituições de ensino superior. vejo também que união precisa defender o que já onquistou.

Elane Rodrigues (NANA) disse...

Essa luta precisa continuar e ter o envolvimento de todos: estudantes, famliares, professores, ou seja, da sociedade em geral.

Lígia Ferreira disse...

Minervino, ainda bem que você disse essas palavras!
Sua atuação traz uma contribuição valiosa para as lutas que a Uneal enfrentou e enfrenta. Através de suas poesias, crônicas, seus trabalhos acadêmicos, você se mostra um estudante mais que atuante; mostra pra todos/as nós o quanto os políticos desse Estado desmoralizam as nossas vontades, as nossas conquistas, as nossas histórias; mostra que "nós" devemos lutar contra "eles" e construírmos uma Alagoas verdadeiramente nossa: criativa, inteligente, trabalhadora, alegre e bela!!!

Parabéns, mais uma vez, por sua produção!!!

Sucesso!!!