A CRÔNICA DO BOM LADRÃO

“Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais”.
Metal Contra As Nuvens ― Legião Urbana


A paróquia de Santa Maria Madalena — União dos Palmares — parece ter entrado no espírito podre da Idade Média depois de sofrer, aparentemente, mais um roubo de proporções divinas. Sem acusações formais de católicos modelos, a instituição segue pregando seu perfeccionismo profano e mantendo no escuro até seus fieis mais dizimistas.
Começa sempre com uma mera suspeita. Quando o acusado ainda era o padre Joacir acusações formais foram feitas contra este por se ter descoberto uma ausência generosa dos donativos, para uso próprio, arrecadado pela igreja durante a festa da padroeira e outros inúmeros eventos “beneficentes”. Rapidamente os boatos se espalharam e União estava prestes a denunciar um homem do clero envolvido não só em escândalos monetários como também sexuais. Contudo, uma enxurrada de ligações indulgentes feitas para as estações de radio pelas senhoras defensoras dos bons costumes cristãos, e dos bons ladrões palmarinos, levou o povo crítico e investigativo à desconfiança e à desistência acerca das discussões. Em pouco tempo a instituição gozava de méritos morais firmes e imbatíveis.
Há pouquíssimo tempo um outro padre entrou na reta das mesmas suspeitas, o manso e adorável padre Irmael. Há boatos recentes de que ele teria roubado uma quantia pecaminosa de dinheiro, retirada do mesmo cofre já saqueado pelo padre Joacir, e escapado não só impune, como elogiado pelas comunidades pela performance executada em sua estadia por lá. Pessoas dizem que provam que ele roubou, outros, afirmam que ele não roubou; quem diz que sim, fala que pode provar, quem diz que não, apenas diz que não. Enquanto essa divina tragédia é apresentada nos bastidores, no palco reformado da assembléia discute-se apenas sobre atos litúrgicos e anti-litúrgicos, deixando os fiéis cegos acerca das imperfeições humanas que, queiram eles ou não, fazem parte do prédio santificado.
Devo ressaltar que não espero uma confissão forçada, ou desculpas humilhantes. Espero que o clero e seus aprendizes de anjos parem de montar uma imagem beatificada da paróquia e parem de chamar de anti-cristãos aqueles que contestam, de forma crítica, os atos de seus dirigentes. Afinal, ser católico não é ser cego e irracional. Ou é?

Tarcísio José!

39 comentários:

Laura disse...

Claro q não Quilombola!

Marcus Diego (maceió) disse...

Gostei dos outros textos do Tarcísio e este, ainda conseguiu me surpreender. Nao sabia que ele poderia se superar tanto assim!
Parabens e ele pela coragem d criticar uma instituição corrupta que se cobre de cordeiro santo e ao blog pela ousadia de abordar um assunto que as pessoas se esforçam para esconder.

Leandro disse...

AFFF! Que texto bom da peste! Nao sou catolico, nem tenho nada contra a igreja, mas devo reconhecer que o texto eh foda e realista! Parabens, cara!

Luisa disse...

Olha, devo confessar que o acorda uniao, no fim do ano, ainda conseguiu me surpreender. Sou católica convicta, mas sei reconhecer que a realidade abordada por ele existe em minha doutrina, sim!
Parabens. Antes tivessemos mais catolicos racionais como voces.

Murilo disse...

Como se atrevem a atacar uma igreja santa como a nossa. Vao se confessar, cristaos mal amados.

Anônimo disse...

Kara, o texto eh muito bom e o modo como ele foi escrito foi o melhor.

Susana Amorim disse...

Parabens ao blog pela ousadia e ao escritor pelo trato com as palavras.

Darlan disse...

Sou catolico e nao concordo com a maioria das coisas que o escritor relata, mas nao tenho como reclamar, já que o infeliz fez tudo bem feito ( sou catolico, mas sei reconhecer que o texto foi bem escrito). Parabens, pessoal!

Anônimo disse...

Nao entendi como alguem que faz parte da PJMP, pastoral catolica, tem coragem de criticar a propria doutrina!

Juan disse...

Ah, Tarcisio criticando a Igreja tinha de ser uma cronica foda e semi-imparcialista!

Diego disse...

Participo da igreja e sei muito bem de que grupo vcs falaram que a igreja chama de anti-cristao, eh a PJMP. Ao meu ver eh anti-cristao mesmo!

Renata disse...

FODA!
ESPETACULAR!
CORROSIVO!
IRONICO!
TARCISIO JOSE!
ACORDAUNIAO!
ACORDA UNIAO!

Anônimo disse...

Vivi de perto as calunias levantadas contra o padre joacir e sei desse boato do padre irmael, mas creio na inocencia dos dois.

JULIO disse...

DEPOIS DE UMA ASSEMBLEIA PAROQUIAL MEMORAVEL VEMOS MAIS UM ESCANDALO DESSES. O QUE DEVO PENSAR DO AUTOR, QUE ELE EH UM MAL CRISTAO?, NAO, QUE ELE EH TACIONAL!

André disse...

kARA, Tarcisio foi ironico nos demais textos dele, mas ai foi demais. e o jogo genial de palavras que ele fez! muito bom!

Janaina disse...

Sou catolica, mas nao dah pra desdizer o autor. eh genial como ele coloca tudo numa posição de suposiçao e ainda nos faz pensar muito. CaTOLICOS, nao ha como negar, gostemos ou nao o texto foi muito bem escrito.

Daniel disse...

Fiquei fascinado pelo texto, embora seja ateu. acho que o escritor trancendeu religioes, ja que esse problema de fixacao por santidade falsa nao ocorre soh na igreja catolica!

Gaby disse...

Insentivei uns dez colegas meus a lerem e, se pudessem, comentar o texto. Parabens ao Acroda Uniao.
Voces foram foda!

David disse...

Vejo esse tatro da igreja ha muito tempo, mas so agora vi um blog com a coragem ea ousadia para critica-la.
P A R A B E N S !

Sergio ACORDA UNIÃO disse...

Primeiro que o texto está ótimo!
Aos que reclamaram sobre e falaram da PJMP - Pastoral da Juventude do Meio Popular, ela é sim da Juventude Católica, reconhecida pela CNBB, com sua forma especícifa de manifestar sua espiritualide, ser da Igreja não quer dizer tapar o sol com a peneira, o que foi relatado aqui já saiu anteriormente nas ondas do rádio. Qual será a justificativa plausível então as saídas daqui. Não tenho propriedade do caso do Pe. Irmael, mas do Pe. Joacir, acompnahei de perto sim todas as atrocidades, e coisas que o texto nem se quer tocou, pois se tocar, sei não.
Escrevo este para deixar claro que a PJMP é sim católica, e por ser católica, aprendeu e aporende com alguns religios e religiosas que ser da igreja não é concordar com ela em gênero, úmero e grau, é também questioná-la a fimde transformar aquilo que achamos ser errado a premndemos à luz do Evangelho, por acreditar no Jesus Cristo Libertador, qiue chorou, bateu, sorriu, soccorreu e TAMBÈM, assim como a PJMP hoje foi de encontro aos !DOUTORES DA LEI" Um abraço um axé e o IlÊa-ô para todos e todas

LIBERTAS disse...

"Como se atrevem a atacar uma igreja santa como a nossa. Vao se confessar, cristaos mal amados."

"Nao entendi como alguem que faz parte da PJMP, pastoral catolica, tem coragem de criticar a propria doutrina!"

"Participo da igreja e sei muito bem de que grupo vcs falaram que a igreja chama de anti-cristao, eh a PJMP. Ao meu ver eh anti-cristao mesmo!"

"Vivi de perto as calunias levantadas contra o padre joacir e sei desse boato do padre irmael, mas creio na inocencia dos dois."

-------

Fico feliz em ter lido o texto com antecedência, ainda das mãos do autor, e devo dizer que os comentários que eu tinha pra fazer, já fiz diretamente ao próprio. Dito isto, me deterei a comentar os outros comentários acima, que faço questão de reescrever aqui. Porque todos esses comentários calorosos em defesa dos referidos padres ficam apenas na idéia de desqualificar o autor pelo que foi dito ali, e não na de defender os padres. Nenhum dos comentários "cristão" postados aqui não mostram sequer um ponto de vista dos quais os padres são os inocentes. É incrívwel como quem não tem o que dizer tenta esbravejar para fazer valer as alienações na qual embarca. Já esperava por esse tipo de coisa. A dualidade dos comentários tembém não foi surpresa, ainda há pessoas inteligentes em União dos Palmares. Parabéns ao blog pela coragem de inovar sempre. E obrigado Sergio, pelo Ilêa-ô.

Marcio Ferreira disse...

Ah desde quando fazer parte de alguma religião ou adotar uma doutrina, justifica o fato de ver algo errado e não comentar ou criticar. Doutrina não é pra cegar e sim para comungar e não é possível comungar sem denunciar. Jesus ensinou a justiça e cabe a qualquer um avaliar a luz do evangelho o que vai de encontro a vida humana. Viver a igreja, sim, mas principlamente TRANSCENDER a fé numa prática LIBERTADORA. Esta ousadia do texto nada mais é do que o desejo que corroe as entranhas de muitos. Parabéns ao autor do texto e ao blog por colocar temáticas para o debate.

Lidia disse...

UH, Ta begando fogo o blog einh?
Sei que ele eh composto por pessoas corajosas, mas criticar a igreja em uniao eh pedir pra ser mau visto na sociedade.
Coragem do caramba!

Ulisses disse...

PK.OK.OK.
Temos um problema: alguem falou mal daigreja e todo mundo se manifesta. fosse contra um inocente, nosso senso messianico nao seria o mesmo, seria?

Paulo Medeiros disse...

Primeiro: O titulo do texto ficou foda. dah a impressao de que ele tah remetendo a passagem da biblia em que Cristo eh crucificado entre dois ladores.
Segundo: o corpo do texto eh magnifico. Por mais devoto que sejam os comentarios eles mesmos foram unanimes quanto a isso.
Terceiro:O blog tem coragem e, ao q me parece eh feito por gente de consciencia critica.PARABÉNS!!!!

Anônimo disse...

Brilhante, emocionante e provocante.
Fez juz ao curso.

Ricardo (sao paulo) disse...

Nada contra a igreja de uniao, mas fatos assim acontecem ateh em estados como o nosso.
Parabens ao blog.

Dalia disse...

Definitivamente o melhor texto escrito para Blogs do ano.
Continuem assim, Acordauniao

antonio disse...

Ah, Tarcisio escrevendo sobre a igreja eh foda.
de seu colega de curso e de turma, Antonio.

Anônimo disse...

Sabe o q eh mais fantastico? Eh que todo mundo q descorda elogia o texto.
parabens ao blog e ao escritor
PS:sou catolico convicto e adorei o texto.

Anônimo disse...

Foda! o que mais posso dizer alem disso?

Angela disse...

Parabens ao sergio,pelo cacife dos textos do blog e ao tarcisio pelos textos bem escritos.

WICCA disse...

pois tarcizio fico muito feliz por vc fazer parte da PJMP,uma juventude cincera e que ñ tem medo de falar o que ver e o pensa no momento certo.Se por sermos uma juventude ousada,crítica,que enfrenta as coisas de frente e ñ tem medo de se expor quando tem que se expor é sermos cristãos mal amados tudo bem cada um pensa o que quer.Mais só para lembrar aos que ñ sabem somos nós que fazemos parte da PJMP que somos conhecidos nacionalmente pela CNBB(COMISSÃO NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL) como uma PASTORAL ESPECÍFICA DEjuventude em união tem mais alguma?SEr católico ñ é ser cego,lembrando que o pior cego é aquele que n quer enxergar. Uma dica de livro para o MURILO ler: ÉDIPO REI,só para adiantar um pouco no final da tragédia ele fura os próprios olhos por ñ querer ver o que está na sua frente desde o início do livro.Parabéns TARCIZIO o texto é muito bom.

SOMOS PJMP SIM.

BJS A TODOS E A TODAS
AMÉM
AXÉ
AUERÊ
ALELUI
ILÊA-Ô

Tarcísio José! disse...

Primeiro e eternamente: Obrigadão ao blog por mais um texto postado e aos leitores por comentários tão "peculiares".
Segundo: Nao há o que falar diante dos comentários e das respostas dadas aos comentários.Contudo, deixo-lhes saber que a PJMP (a boa) foi e está sendo responsável por minha formação religiosa. Não fosse pelo realismo crítico e pela evangelização supercontextualizada para a juventude do meio popular eu não teria razão alguma para crer em Deus, tampouco para ser católico, pois a maioria dos grupos católicos ficam no velho discurso macerado de "Eva comeu a maçã" e esquecem da realidade dos problemas sociais que cercam todos os seres humanos.
Terceiro: Uma coisa que me espantou foi ler tantos comentários discordando do meu texto, mas elogiando a composição deste. Acreditem, isso me foi muito significativo!
Quarto: Um agradecimento especial ao grupo de amigos que sempre lia minhas crônicas antes de eu as postar no blog. Valeu, Cês foram muito importantes para mim.
Um abraço a todos e todas.
Valeu!

Anônimo disse...

TARCIZO! FUI VICE-PRESIDENTE DO MOVIMENTO JOVEM DA IGREJA, A ÚNICA OPORTUNIDADE DE SER APRESENTADOR DA FESTA DE SANTA MARIA MADALENA, FOI COM OS VIANAS, NAQUELA OPORTUNIDADE A IGREJA TOMAVA CONTA DA FESTA, JUSTIFICATIVA ERA QUE NÃO TINHA UM CASAL QUE QUERIA FICAR COM A BANDEIRA, O SAUDOSO MARIO CARDOSO TINHA UMA PROMESSA DE MAIS DE VINTE ANO, O SR. ANTONIO EMANUEL TINHA OUTRA., AINDA ADMINISTRADA PELOS CANADENSES SAUDOSOS A BANDEIRA FOI PRA IGREJA, PRIMEIRO ANO O MASTRO CAIU, O NOSSO PADRE DONALDO O QUAL ERA O RESPONÇAVEL DEVOLVEU AOS CASAIS. A IGREJA TIROU DOS CASAIS POR QUE ELES NÃO PRESTAVAM CONTAS E TERMINAVAM RICOS, FICOU RESPONÇAVEL UM GRUPO FECHADO QUE AS CONTAS NAO CONVENCIA, UM PADRE RAPOU, O OUTRO SUBORNOU PRA SER PADRE, PELA LEI DO VATICANO O MAIS VELHO EM SACERDÓCIO É O PARÓCO E OS MAIS NOVOS OS VIGARIOS, NA OCASIÃO O MAIS VELHO NÃO ERA O ISMAEL..., É NESCESSARIO TER CORAGEM PARA DENUCIAR E TER CORAGEM PARA ACEITAR

Anônimo disse...

Sinceramente, o texto é um acumulado de opinião e acusações sem fundamentos. Cadê os dados e a comprovação do roubo? Falar em ladrão e não dizer a quantia é uma coisa totalmente tosca.
O que mais me deixa preocupado é que ninguém faz uma reflexão digna.
Basta tocar no nome da PJMP para "os donos do pedaço mostrarem as unhas".

Essa é apenas mais uma besteira das inúmeras que acompanho em União dos Palmares.

Anônimo disse...

Concordo com o daí de cima...

E ademais... a citação "espírito podre da Idade Média"...
Qual foi o gibi que o autor do texto leu pra soltar uma pérola destas?

"Essa é apenas mais uma besteira das inúmeras que acompanho em União dos Palmares [2]"

aureliox disse...

Respondendo aos anônimos...

1º Anônimo diz: "Sinceramente, o texto é um acumulado de opinião e acusações sem fundamentos"

2º Anônimo não diz nada com nada.


Bem, acredito que o texto de nosso amigo Tarcísio não tenha pretensões jurídicas. Levantar provas, evidências, fazer acusações, julgar e condenar são ações concernentes ao poder judiciário e não à pena de um escritor. Bons escritores são capazes de diagnosticar e expor criticamente as mazelas duma sociedade, mas nunca usam seus textos para levar alguém à cadeia, pelo contrário, geralmente acabam presos, exilados ou até mesmo mortos por causa de seus textos.

Se nosso amigo Tarcísio fez citação de nomes foi apenas para dar mais verossimilhança ao texto e não para condenar alguém. Os nomes são apenas colocados no texto e não encontram destaque nele. Já a entrada da igreja no "espírito podre da Idade Média" nestá em constante evidência no texto, sendo sobre isso que ele fala. Do contrário a pergunta final seria "será que o padre Fulano é culpado?" e não "Ser católico é ser cego e irracional?".

Em outras palavras, partindo de um fato específico - o roubo do dízimo na paróquia de Santa Maria Madalena - o autor maestralmente passa a um questionamento mais amplo e socialmente importante - a negação e encobertamento, pela Igreja Católica, de crimes cometidos em seu interior (de dízimos à pedofilia). Basta ter olhos para ver.

Obs.: para quem não sabe a palavra "corrupção" vem do latim "corrumpere" que, entre outros significados, quer dizer "apodrecer" ou "decomposição física". Por isso a expressão "espírito podre" ou "espirito de corrupção" não é sem sentido. Qualquer um que seja alfabetizado o suficiente para ler um gibi sabe o quão corrupta era a Igreja Medieval.

aureliox disse...

O texto está muito bom!
Agora,respondendo aos anônimos...

1º Anônimo diz: "Sinceramente, o texto é um acumulado de opinião e acusações sem fundamentos"

2º Anônimo não diz nada com nada.


Bem, acredito que o texto de nosso amigo Tarcísio não tenha pretensões jurídicas. Levantar provas, evidências, fazer acusações, julgar e condenar são ações concernentes ao poder judiciário e não à pena de um escritor. Bons escritores são capazes de diagnosticar e expor criticamente as mazelas duma sociedade, mas nunca usam seus textos para levar alguém à cadeia, pelo contrário, geralmente acabam presos, exilados ou até mesmo mortos por causa de seus textos.

Se nosso amigo Tarcísio fez citação de nomes foi apenas para dar mais verossimilhança ao texto e não para condenar alguém. Os nomes são apenas colocados no texto e não encontram destaque nele. Já a entrada da igreja no "espírito podre da Idade Média" está em constante evidência no corpo texto, sendo sobre isso que discorre. Se fosse para acusar, a pergunta final seria "será que o padre Fulano é culpado?" e não "Ser católico é ser cego e irracional?".

Em outras palavras, partindo de um fato específico - o roubo do dízimo na paróquia de Santa Maria Madalena - o autor magistralmente passa a um questionamento mais amplo e socialmente importante - a negação e encobrimento, pela Igreja Católica, de crimes cometidos em seu interior (de dízimos à pedofilia). Basta ter olhos para ver.

Obs.: para quem não sabe a palavra "corrupção" vem do latim "corrumpere" que, entre outros significados, quer dizer "apodrecer" ou "decomposição física". Por isso a expressão "espírito podre" ou "espírito de corrupção" não é sem sentido. Qualquer um que seja alfabetizado o suficiente para ler um gibi sabe a quão corrupta era a Igreja Medieval.